Não haverá mais vagas em empresas, mas, sim, propostas

0
19

O pulo do gato é saber aproveitar a oportunidade de experimentar formas diferentes de relação de trabalho, segundo Sofia Esteves

Você sabia que o trabalho por projeto, o chamado freelancer, é uma tendência do futuro do trabalho? Pois é, essa é uma tendência forte e haverá um dia em que as empresas não oferecerão uma vaga, mas, sim, propostas de projetos interessantes para os profissionais.

Embora essa não seja uma novidade e haja muitos profissionais já atuando dessa forma, alguns por escolha – principalmente os profissionais liberais – outros por estarem desempregados e não conseguirem uma recolocação, o pulo do gato está no fato de que quem souber aproveitar a oportunidade de experimentar essa forma diferente de relação de trabalho terá a chance de desenvolver competências importantes para sua empregabilidade no futuro.

Muitos profissionais já se encontraram nesse modelo trabalho e não querem voltar ao dia a dia do ambiente corporativo, porém, também há aqueles que consideram essa uma situação provisória.

De qualquer forma, trabalhar por projeto é uma oportunidade para adquirir mais disciplina, aprender a gerir o seu tempo e, sempre, reforçar seu networking e a sua imagem positiva no mercado de trabalho, por meio das suas entregas.

Por mais que essa forma de trabalho tenha inúmeros lados positivos, há também que se ficar atento a algumas armadilhas. Em um primeiro momento, quem passa a trabalhar por projeto pode encontrar duas dificuldades: gerir seu tempo e suas finanças.

Você terá que dividir o tempo entre buscar oportunidades de trabalho ou projetos para realizar, trabalhar nos projetos que conquistou e ajustar tudo isso às suas demandas pessoais.

Sem a pressão de ter um chefe e com liberdade para realizar o trabalho onde quiser e a hora que quiser é preciso tomar cuidado para não cair na tentação de deixar tudo para a última hora, se distrair com a “sessão da tarde” ou deixar que a resolução de questões pessoais tome mais tempo do que deveria.

Cuide para que seus amigos e familiares não pensem que o fato de estar em casa significa que está disponível para qualquer coisa. Procure manter o foco em atividades profissionais durante as oito horas que estaria no escritório. E lembre-se: se perder o foco no trabalho é um risco, trabalhar o tempo todo também é.

Por isso, vale a pena se dedicar a encontrar um método de gestão do tempo que mais se adequa a você. Hoje, há várias ferramentas disponíveis como Outlook, Matriz Urgente e Importante, GTD, planilhas e apps como o Workflowy, entre outros.

A sistemática de organizar seu tempo e sua rotina dará mais trabalho no início e pode haver resistência para incorporá-la ao dia a dia, mas depois que se tornar um hábito, você verá o ganho de tempo (e de qualidade de vida) que terá, principalmente quando um volume maior de projetos começar a entrar.

Já a vida financeira deixa de ter uma regularidade. Os seus pagamentos não cairão mais num dia específico. Se você ainda não tem um controle de custos, este é o momento para começar a ter.

Primeiro para ter noção exata dos seus gastos e verificar o que pode ser cortado para que você tenha mais tranquilidade nos primeiros meses. Pense que agora você é sua própria empresa e, portanto, você terá que gerir a sua vida como tal.

Aliás, é bem provável que você tenha que abrir uma empresa e ter um CNPJ e uma conta jurídica para poder receber os pagamentos pelos trabalhos que realizar. Não se assuste com isso. Procure um contador de confiança para o ajudar, peça indicação de amigos que já atuam dessa forma ou são empreendedores e até mesmo de ex-colegas que trabalham na área financeira das empresas em que atuou.

Outro ponto fundamental para quem trabalha por projeto é cuidar do networking. Embora esse ponto seja essencial para qualquer tipo de carreira que deseje trilhar, no caso de quem trabalha por projeto os relacionamentos valem ouro para descobrir oportunidades – pode não haver muitas vagas, mas sempre há trabalho – e para abrir portas para se apresentar e fazer propostas de projetos que pode desenvolver.

Além de contar para sua rede de relacionamento que está aberto a atuar por projeto, vale a pena fazer uma relação de empresas para as quais gostaria de trabalhar, avaliar de que maneira poderia contribuir e procurar se aproximar.

No entanto, tenha sempre em mente que nem sempre você terá o retorno que esperava dos contatos profissionais que fizer. Alguns projetos podem morrer antes mesmo de começarem. Não desanime nem se ressinta quando isso acontecer, busque desenvolver sua resiliência e tente aprender com a situação, para que possa sair dela bem melhor do que entrou.

Olhar para o trabalho por projeto de forma mais aberta pode dar a você uma chance valiosa de desenvolver sua carreira, encabeçar projetos altamente interessantes e ampliar a sua forma de atuação de forma significativa no mercado. Pense nisso!

Por Sofia Esteves, fundadora e presidente do conselho do Grupo DMRH
Fonte: Exame

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here