Plano de logística deve ser anunciado até fim de maio, diz Barbosa

0
548

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse nesta quinta-feira (7) que o governo deve anunciar até o final de maio um novo pacote de investimento em logística e infraestrutura no país. Esse plano deve prever o leilão de novos aeroportos, rodovias, ferrovia e portos.

“Estamos trabalhando para anunciar [o plano] até o final do mês”, disse Barbosa a jornalistas, depois de participar de uma reunião com o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, em Brasília.

O ministro do Planejamento não quis dar detalhes sobre os projetos que devem ser levados a leilão neste novo pacote. Entretanto, a Secretaria de Aviação Civil (SAC) já confirma que, entre eles, devem estar os aeroportos de Salvador, Florianópolis e Porto Alegre, hoje administrados pela Infraero e que passariam ao controle privado.

“A carteira de ativos não está definida”, disse Barbosa ao ser questionado sobre os projetos que vão constar do plano. De acordo com ele, estão sendo avaliadas sugestões de obras prioritárias, inclusive vindas de governos estaduais.

Nova tentativa

Com esse novo pacote de investimentos em logística o governo espera impulsionar a economia brasileira, que vem registrando desaceleração nos últimos meses. Além disso, será mais uma tentativa da presidente Dilma Rousseff de eliminar gargalos na infraestrutura do país, que encarece nossos produtos e tira competitividade de nossas empresas.

Em agosto de 2012, o governo surpreendeu com um pacote que previa, na época, investimento de R$ 133 bilhões na duplicação e manutenção de 7,5 mil quilômetros de rodovias federais e na construção de 10 mil quilômetros de novas ferrovias. Pouco depois, em dezembro do mesmo ano, lançou programa para ampliar investimentos em aeroportos e portos, incluindo um novo marco regulatório para o setor portuário.

Entre 2013 e 2014, o governo conseguiu leiloar 6 dos 9 trechos previstos no plano para rodovias, que depois disso acabou suspenso por falta de interesse dos investidores nas trechos restantes.

No primeiro mandato da presidente Dilma, também foram entregues à iniciativa privada a operação de cinco dos principais aeroportos do país: Guarulhos, Campinas (SP), Brasília (DF), Confins (MG) e Santos Dumont (RJ). Já o plano de investimento em aviação regional, que beneficiaria 270 aeroportos de pequeno e médio porte, não saiu do papel.

Também não deslanchou o plano do governo para o setor portuário. Apesar de ter autorizado a construção de portos privados, os chamados TUPs, não houve avanço nas licitações de terminais em portos públicos. A publicação do edital do primeiro leilão desse tipo só foi liberado nesta quarta (6) pelo Tribunal de Contas da União (TCU), depois de um ano e meio sob análise.

 

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here