Ferrovias deveriam ser o modo básico de transporte de cargas para o Nordeste, aponta estudo da Conab

0
169

Sem estrutura ferroviária, porém, o modo rodoviário ainda é a forma mais barata de transporte da produção agrícola da região Centro-Oeste para os Estados nordestinos

Ferrovia Norte-Sul seria uma alternativa eficaz para abastecer o Nordeste, segundo superintendente da Conab

O modo rodoviário ainda é a forma mais barata de transporte da produção agrícola da região Centro-Oeste para o Nordeste do país. Essa é a conclusão de um recente estudo da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sobre a logística de escoamento de estoques públicos para atender o Nordeste, que vem sofrendo com a seca.
O estudo demonstra que o transporte multimodal, com a utilização conjunta dos modos rodoviários, hidroviários e de cabotagem, ainda é muito caro no Brasil se comparado ao rodoviário. Um exemplo é o custo de deslocamento de milho de Mato Grosso e Goiás para os Estados nordestinos. Pelo modo rodoviário, a Conab paga, em média, cerca de R$ 370,00 por tonelada.
– Caso utilizássemos o sistema multimodal, ente Mato Grosso e Bahia o valor seria de quase R$ 700,00 por tonelada – explica o Superintendente de Logística Operacional da Conab, Carlos Eduardo Tavares.
Segundo Tavares, outra alternativa analisada foi a utilização da multimodalidade rodo-cabotagem-rodo entre a zona de produção do Paraná e Bahia, que apresentou valor superior a R$ 650,00 por tonelada.
– Os números demonstram que as grandes distâncias rodoviárias, necessárias para alcançar roteiros onde são utilizados veículos de grande porte (hidrovia, ferrovia, marítima), acarretam elevados custos logísticos totais – completa.
Outro fator que torna o modo rodoviário mais atrativo é o nível de serviço oferecido. Basicamente, o tempo do caminhão no percurso de origem é de três a seis dias, enquanto no sistema multimodal, pela necessidade de consolidação das cargas (descarregar vários caminhões para encher um navio), pela distância a ser percorrida em veículos de baixa velocidade e pelo tempo de descarregamento nos portos, o prazo de remoção chega a 45 dias.
O levantamento aponta que a expansão do crescimento agrícola está se processando para o interior do país, e a ferrovia deveria ser o modo básico de transporte para movimentar estoques públicos da região Centro-Sul para o Nordeste.
– Caso a ferrovia Norte-Sul estivesse concluída, teríamos uma alternativa mais eficaz para abastecer o Nordeste – ressalta o superintendente.

Fonte: alfonsin.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here